segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Quente, frio
Frio, quente
Quente, frio,
Frio e quente...
E o arrepio suave
Percorre minha espinha....
Hoje o que é certo
Ficou para trás,
E eu fico aqui, parada...
Será isto o presente?
Ou será isso a letargia?....
Paro, penso e endureço...
                         Amadureço....
                                    Emudeço....
Mas o coração não cala....
Ele grita,
Um grito desesperado,
Desesperador...
Desespera
                 Dor....
Mas ninguém entende, ninguém ouve....
Por entre as ruas abarrotadas,
As pessoas caminham com indiferença,
Sem sentir, sem perceber
Sem entender as entrelinhas....
Entre-minhas,
Entre-meus
Estre –meceu
Este-MEUCEU
Estremeceu
Estremeço
             O céu...
             Meu...
             Eu
Este Meu Eu...
Este sou eu....

Um comentário:

  1. uau! taí o que aconteceu com todo aquele Álvaro de Campos...

    ResponderExcluir